Geral

O que você quer ser quando crescer?

Uma breve análise sobre o nosso Projeto de Vida

“Escolha fazer o que você gosta e não apenas o que lhe trás dinheiro.”
Deivison Pedrosa

Todos nós, um dia, já nos deparamos com aquela famosa perguntinha: “O que você quer ser quando crescer?” É claro que, quando se é criança, tudo é mais fácil e até mesmo engraçado. Mas, o grande problema se dá quando nos deparamos essa mesma perguntinha em nossa adolescência. É aí que começam a surgir os famosos “Não sei”. E o mais curioso é que, ainda encontramos adultos que também não sabem.

De fato, escolher um “Projeto de Vida” é algo extremamente difícil para alguns. E aqui, ressalto que este não se refere apenas ao lado profissional, mas também se refere às escolhas e sonhos que procuramos galgar em nossas vidas. Para isso muitas vezes é preciso saber lidar com as inúmeras pressões que advém dos mais diferentes grupos, como: A família, os colegas, o mercado de trabalho, o salário que se pretende obter, a segurança e independência financeira e acima de tudo, o “gostar daquilo que se faz”.

O interessante de se ter um Projeto de Vida ou sonho (como queiram), é que este não é e nem deve ser inflexível. Todos nós, em algum momento de nossas vidas queremos dar um “meia-volta volver” e tentar outra coisa, “fazer aquilo que nos dá prazer e não somente dinheiro”. No entanto, o que estamos percebendo nos dias atuais, são pessoas e mais pessoas que sequer tem um Projeto de Vida.

Nesse sentido, é importante salientar e aplaudir algumas iniciativas que surgem. Um exemplo é o que a Rede Estadual de Educação de São Paulo está fazendo. Esta já oferecia para os alunos matriculados nas escolas PEI (Programa Ensino Integral), disciplinas que viriam de encontro a tal problemática. Neste ano, tal experiência acabou sendo ampliada a todo o ensino regular, ou seja, todos os alunos da rede estadual passarão a contar com disciplinas que os apoiarão em seus Projetos de Vida.

Cabe lembrar que, o fato de tais unidades escolares poderem oferecer essas disciplinas é apenas “um dos passos” pelos quais cada aluno deve trilhar e muito ainda pode e deve ser feito. E aqui é importante pontuar também a atuação dos, já supracitados, grupos sociais envolvidos, pois eles também integram os demais passos. E com isso, também é importante destacar que, cada qual tem “o seu tempo” e “o seu andar da carruagem”.

Em suma, o que posso afirmar é que, independentemente da idade, a velha perguntinha de sempre, deve a todo instante nortear a nossa vida, seja você criança, adolescente ou adulto. Afinal, nunca se é tarde ou cedo demais para começar algo novo.

Tiago Rafael dos Santos Alves
Professor, Historiador e Gestor Ambiental
Membro Correspondente da ACL e AMLJF
tiagorsalves@gmail.com

Etiquetas

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios