Geral

Home Office na pandemia

No começo do isolamento social, a sensação era de férias. E mesmo que o trabalho tivesse que ser realizado em casa, não atrapalharia o descanso. Quase um sonho. No entanto, aos poucos, as dificuldades foram surgindo e aquele ideal antigo de trabalhar em casa, passou a ser visto com outros olhos.

O trabalho a distância, ou home office, não é novidade. Esta prática já existe há tempos, porém tomou proporções maiores em virtude do avanço da covid-19. Muitas empresas, resistentes em adotar tal processo, tiveram que rever suas estratégias para continuarem economicamente ativas no mercado.

O trabalho remoto traz benefícios a todos. Porém, nem tudo são flores. Trabalhar em casa, apesar da sensação de liberdade e de comando da própria vida, esconde algumas armadilhas e que se não forem percebidas, e adequadamente gerenciadas, ocasionarão prejuízos. Alguns ajustes são essenciais para dar certo. Um deles é estipular um limite diário de dedicação ao trabalho, pois, uma vez que é realizado na esfera doméstica, o funcionário poderá ter dificuldades para se desligar das tarefas, o que aumentará os níveis de estresse. Ou, no outro extremo, este mesmo ambiente poderá fazer com que ele não consiga se concentrar nas tarefas. Por isto, é fundamental delimitar um espaço de trabalho para realizar a atividade profissional e que seja silencioso.

Neste novo contexto, aquele ditado “família, família, negócios a parte”, tem um papel de destaque. A família precisa ter plena consciência de que o fato daquele familiar trabalhar em casa, não significa que ele pode parar a todo o momento para dar uma mãozinha nos afazeres domésticos. Portanto, é essencial criar uma rotina de horários e com muita disciplina. Se tiver que fazer algo, e que não tenha ligação com o trabalho, deve ser feito num horário que seria correspondente ao horário de almoço da empresa ou após o expediente.

No entanto, mesmo com todas estas diretrizes, muitas pessoas ainda não conseguiram se adaptar. E por quê? A pandemia tirou a nossa vida dos trilhos, alterando bruscamente a nossa rotina, desencadeando muita ansiedade, tensão e resistência. Contudo, permanecer nesse estado prejudica mais ainda a saúde mental. Mudar a forma de ver o trabalho remoto pode parecer difícil à primeira vista, principalmente para aqueles que sempre trabalharam de forma presencial. Porém, se pensarmos bem, tal prática foi adquirida, e repetida, ao longo da vida e, na maioria das vezes, sem questionarmos, o que nos impedia de ver outra maneira de realizarmos as mesmas tarefas.

É preciso compreender que mudar hábitos é sempre um desafio para o ser humano, mas, se atribuirmos um novo sentido à realidade, olhando-a por uma nova perspectiva, trará muitos benefícios. O ambiente de trabalho sempre foi descrito como a nossa segunda casa, por passarmos boa parte do tempo nele e agora, com o trabalho remoto, é a oportunidade de invertermos esta situação. Olhar por este prisma, e tantos outros positivos, tornará o trabalho mais significativo, gerando maior produtividade e, principalmente, maior qualidade de vida.

Créditos: Joselene L. Alvim (Jô Alvim) – Psicóloga/neuropsicóloga

Fonte: G1 Presidente Prudente

 

Etiquetas

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios