Geral

Evite sair! Fique em casa! Nós dependemos de você!

Um breve relato sobre as recomendações dos órgãos oficiais e o comportamento das pessoas

“Teremos de mudar a forma como vivemos neste planeta. Se não o fizermos, vamos pagar um preço muito alto.”
Série – Pandemia

 

Acredito que somente o título desse texto seria suficiente, mas infelizmente não é! Nos últimos dias, como se sabe e tem sido divulgado aos quatro ventos, em virtude do covid-19, a recomendação dos órgãos oficiais é para que não saíssemos de nossas casas e evitássemos o contato com ambientes lotados e fechados. No entanto, em algumas localidades não é isso que se vê.

Pois bem, se você der uma breve “passadinha” no centro de algumas cidades o cenário se mantém bem parecido ao de duas semanas atrás, ou seja, parece que o brasileiro ainda não entendeu “direito’’ o significado da palavra pandemia.

Só para se ter uma ideia, em uma breve ida à uma das farmácias locais, vi pessoas se exercitando num dos parques e ruas, bares e esquinas repletas de pessoas e como se não bastasse ainda presenciei inúmeras pessoas idosas passeando com seus animais de estimação.

Enquanto escrevo, provavelmente mais alguns casos de covid-19 são anunciados aqui ou ali, devido à “imbecilidade” e “irresponsabilidade” de alguns. Isso mesmo, de alguns! Mesmo que não faça parte do “grupo de risco”, circulando para cá e para lá, você se torna um “potencial transmissor” para os demais.

Da mesma forma, ao ir ao supermercado vivenciei uma triste e famigerada busca aos gêneros de primeira necessidade (ah, e claro ao tal álcool em gel também), seguida por filas enormes junto aos caixas. Ou seja, o que se percebe é que se continuarmos assim, o desabastecimento logo logo ocorrerá.

Nesse sentido, aqui cabe novamente a recomendação dos órgãos oficiais! Se você pode ficar em casa, fique! E aproveite este tempo da melhor maneira que puder. Leia aquele livro, mude os móveis de lugar, curta a sua família, escreva um texto, ligue para alguém, coloque uma música que goste, brinque com seus animais, assista séries e filmes, faça cursos online, se exercite, enfim, diversas são as opções e coisas para se fazer (Ah… não se esqueça que as “fake news” ainda estão à solta). Só não circule para lá e para cá sem motivos!

Enfim, nos atuais tempos obscuros (e agora, virais), seja aqui ou ali, nos resta apenas a espectativa de que todos façam ao menos a sua parte. Quanto aos governantes daqui e dali, que eles possam entender de uma vez por todas (e o quanto antes!), que isso tudo não é só mais uma “gripezinha”! Assim seja!

Tiago Rafael dos Santos Alves
Professor, Historiador e Gestor Ambiental
Membro Correspondente da ACL e AMLJF
tiagorsalves@gmail.com

Etiquetas

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios