CidadesGeral

Idosos em asilo escrevem conselhos a jovens: ‘Têm muito a ensinar’

Frases como “ser solidário”, “não usar drogas” e “ser feliz” foram compartilhadas nas redes sociais, gerando reflexões dos moradores.

Os idosos de um asilo em Tupã (SP) escreveram conselhos para as gerações mais jovens durante uma atividade realizada pela psicóloga do lar. O resultado foi compartilhado nas redes sociais no último dia 10 e gerou reflexões dos moradores.

“Sábios ensinamentos!”, comentou uma usuária. “Obrigada por cada palavra”, continuou outra internauta.

De acordo com uma das proprietárias do asilo, Luciana Ribeiro dos Santos, a ideia surgiu do prazer que ela e as filhas, de 4 e 8 anos, têm de conversar com os idosos. Segundo ela, antes da pandemia, as meninas costumavam visitar constantemente uma das moradoras.

Idosos de asilo dão conselhos a jovens por meio de atividade em asilo de Tupã — Foto: Lar e Creche para Idosos Bom Samaritano / Divulgação
Idosos de asilo dão conselhos a jovens por meio de atividade em asilo de Tupã — Foto: Lar e Creche para Idosos Bom Samaritano / Divulgação

 

“Elas sentavam, conversavam, brincavam de boneca… Elas amavam isso e ficou muito ruim quando começou a pandemia. Ela também me dava conselhos de como criar minhas filhas e ficava conversando com elas: ‘obedece a mamãe, seja educada’”, explica Luciana.

A partir disso, Luciana e a psicóloga Maria Gabriela Lima Gome que trabalha no asilo, que abriga 28 idosos, elaboraram a atividade. A ideia era escrever o nome, a idade e um conselho para as novas gerações.

“Surgiu essa ideia de perguntar o que eles poderiam aconselhar para influenciar as nossas vidas, porque se fôssemos ouvir o que eles têm a nos dizer, as coisas não estariam como estão”, acredita a proprietária.

O resultado da ação foi bastante positivo, segundo Luciana, e os idosos abraçaram a atividade, respondendo à pergunta de forma bastante sincera. Ser honesto, pensar no futuro, ser solidário, não usar drogas, estudar, respeitar e até descansar foram alguns dos conselhos dados pelos moradores do lar.

“Eles adoram participar dessas coisas. Aí postamos na página porque tem muitos parentes que são de fora, então todas as atividades eu posto na página. Também foi uma forma de atingir as pessoas”, conta Luciana.

Por Júlia Nunes sob supervisão de Mariana Bonora.

Fonte: G1 Bauru e Marília

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios